Comportamento dos peixes no verão

Comportamento dos peixes no verão


  • 06/02/2019

As condições climáticas de norte a sul do Brasil são bem heterogêneas, como já sabemos.

Assim, a chegada do verão para as regiões mais quentes, como norte e nordeste do país, pouco influencia na temperatura da água, que permanece de forma mais constante ao longo do ano todo. Os produtores de peixe destas regiões comemoram, já que temperaturas mais altas contribuem de forma positiva no crescimento e permitem o cultivo de espécies de clima mais quente, de janeiro a janeiro. No centro e região sul do país, a temperatura muitas vezes é um fator limitante, tanto para a espécie a ser cultivada quanto para a sazonalidade do cultivo, que muitas vezes está restrito a menos safras por ano em virtude do inverno rigoroso.

 

Mas por que a temperatura influencia tanto os peixes?

 

Os peixes, diferente de nós, são animais ectodérmicos, ou seja, sua temperatura corporal é regulada de acordo com a temperatura do ambiente em que se encontram. Dessa forma, com a chegada do verão a temperatura da água aumenta e influencia diretamente o metabolismo destes animais, que passa a ficar mais acelerado e portanto os peixes tendem a aumentar o consumo de ração. Nesse momento é importante que o produtor esteja atento à sua piscicultura, uma vez que a voracidade dos peixes aumenta, a tendência é jogar mais ração, mas é preciso fazer isso com muita cautela para não exagerar e ter problemas futuros. Além do desperdício, um excesso de ração pode degradar a qualidade de água e criar um ambiente não favorável aos peixes.

 

Outro fator que sofre a influência da temperatura é o oxigênio. Como o animal está comendo mais neste período de verão, vai demandar mais oxigênio para manter seu metabolismo. Além disso, quanto mais quente, menor é a solubilidade do oxigênio na água, portanto, ao longo do dia é comum ter flutuações nas concentrações de oxigênio. O uso de aeradores é fundamental para evitar tais variações bruscas, aumentando o conforto dos peixes e consequentemente permitindo um melhor desempenho produtivo.

 

Sem dúvidas o verão é uma ótima estação para o cultivo de peixes como a tilápia por exemplo, peixe com maior volume de produção no Brasil, contudo, a atenção deve ser redobrada principalmente para o fornecimento correto da quantidade de ração e para os níveis de oxigênio, conforme já comentado. Outro parâmetro essencial de se monitorar são os compostos nitrogenados, como a amônia. A amônia se acumula no ambiente de cultivo devido à excreção dos peixes, quanto mais estes se alimentam, mais amônia vão eliminar. A amônia também é gerada na decomposição dos restos de ração e fezes. Seu monitoramento deve ser constante, assim como as biometrias e cálculo da conversão alimentar, a fim de evitar um desperdício de ração, item que representa até 70% dos custos de uma piscicultura, e evitar uma condição ruim da água.

 

Para adquirir seu aerador Trevisan e não deixar faltar oxigênio em sua piscicultura, clique aqui. Se você já usa aeradores Trevisan, clique aqui para conferir sobre os cuidados e manutenção destes equipamentos, lembre-se que é fundamental manter certo cuidado para aumentar a vida útil dos mesmos.