Suinocultura, o básico que você precisa saber

Suinocultura, o básico que você precisa saber


  • 21/02/2018

A criação de porcos, ou suinocultura, é uma das atividades que mais geram trabalho e renda para milhares de brasileiros.

Pequenos e grandes pecuaristas investem parte ou todo o seu investimento em suinocultura, principalmente os de corte. Para entender a importância da suinocultura, é necessário entender tudo sobre o assunto.  

O básico da suinocultura: infraestrutura e instalações


Quem está pensando em investir em suinocultura ou já conta com aporte financeiro para este fim precisa aplicar recursos em instalações. A criação de suínos, neste sentido, requer uma preparação técnica de equipamentos e maquinários aplicados em um determinado espaço.

Escolher um bom local para a suinocultura também é fundamental para o pecuarista. Neste contexto, deve ser levado em consideração o clima do local, a alimentação dos animais e o mercado consumidor de carne suína. Além disso, em termos de instalação, o pecuarista deve pensar também na logística interna e externa para o transporte dos animais.

Em um ponto ainda mais abrangente, à infraestrutura do local deve contar com energia elétrica e fornecimento de água. O terreno para a suinocultura deve ser correto, pois reduz o investimento de declividade e terraplanagem.

Além disso, o local deve ter um espaço para dejetos e os barracões em que ficarão os animais devem ter aproximadamente 20 metros. Muitos adeptos da suinocultura consideram também que a ventilação natural ajuda na criação dos suínos, além de gerar economia na aquisição de equipamentos.

Alimentação e abate de suínos


A alimentação dos suínos é outro ponto importantíssimo para quem pretende investir ou já investe em suinocultura. A dieta dos suínos normalmente é composta de cereais, entre eles a cevada, o trigo e o milho. Quando pequenos, os suínos devem ser alimentados com milho.

Em seguida, durante a fase adulta, pode-se aplicar a mistura dos cereais. No entanto, durante o desmame, o trigo é a melhor opção, assim como para quem pretende ou já cria leitoas. Na suinocultura, o trigo com moagem fina é o mais indicado. Já a cevada deve ser com casca, por contar com um valor nutritivo extremamente alto. Alguns pecuaristas utilizam aveia na dieta dos suínos, porque esse alimento tem um alto ter de fibras, apesar de ser caro.

Na hora de alimentar os suínos, é de fundamental importância que o pecuarista tenha um bom comedouro. A Trevisan possui o comedouro ideal, que 
é feito de material plástico em polietileno o que garante a utilização de um material não tóxico e que não se deteriora com as condições climáticas, disponível nos tamanhos de 60, 120 e 220 litros. Confira mais informações em nosso site.

Já o abate de suínos é feito somente após a inspeção sanitária, e os animais entram em período de jejum e dieta hídrica de seis até 24 horas. Após a remoção de sujeiras, os animais são abatidos por descarga elétrica ou atordoamento (com gás carbônico).

Os suínos são drenados e se retira 3 litros de sangue do animal. Por fim, os animais são limpos novamente e imersos em taques com água quente na temperatura de 65ºC durante um minuto para a remoção de unhas e pelos.


Para saber mais sobre agricultura, piscicultura e pecuária, acesse o site da Trevisan. 
Outras informações podem ser conferidas também na página oficial da Trevisan no Facebook.